A tradução de metáforas no filme japonês A viagem de Chihiro

A tradução de metáforas no filme japonês A viagem de Chihiro

150 150 Paula Hidemi Kaneoya

ORGADO, Gisele Tyba Mayrink Redondo. A tradução de metáforas no filme japonês A viagem de Chihiro.  112  f. Dissertação (Mestrado em Estudos da Tradução) – Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução, UFSC, Florianópolis.

 







RESUMO

Este trabalho tem por objetivo investigar a tradução de metáforas realizada no processo de legendação do filme de animação intitulado: A viagem de Chihiro, do diretor japonês Hayao Miyazaki. Para fazê-lo, será considerado o suporte teórico descritivista de van den Broeck (1981), complementado pela proposta de Toury (1995), descrevendo as opções existentes, a fim de analisar as escolhas feitas pelo tradutor/legendador para a tradução das metáforas selecionadas, levando-se em consideração as dificuldades de se lidar com a tradução destas sob a ótica linguística, bem como sob a perspectiva de culturalidade intrínseca de cada idioma. Nesta investigação levanta-se a suposição de que a parcela imagética está em consonância com o texto oral e escrito, e que neste espaço de diálogo entre as expressões semióticas imbricadas delineiam-se algumas das ações do tradutor a serem aqui investigadas e discutidas. Observaremos, particularmente, a questão da tradução interlinguística de metáforas, a saber: japonês/português, sob a influência dos aspectos culturais e interculturais, bem como sua circunscrição no âmbito das perspectivas técnicas da legendação.

Palavras-chave: Tradução. metáfora. cultura. legendação.

 

Trabalho na íntegra: A tradução de metáforas no filme japonês A viagem de Chihiro

Contato: gisele.orgado@gmail.com

Paula Hidemi Kaneoya

Bibliotecária formada pela Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. Ministra oficinas de origami.

All stories by : Paula Hidemi Kaneoya
1 comentário
  • Muito bom o trabalho. Além de gostar dos temas (tradução e anime), é sempre bom ver trabalhos trabalhos acadêmicos que analisam casos reais.

Leave a Reply