É possível uma explicação para o surgimento da Shindo-renmei?

É possível uma explicação para o surgimento da Shindo-renmei?

150 150 Iochihiko Kaneoya

Sobre artigo recentemente publicado, de minha autoria, “É possível uma explicação para o surgimento da Shindo Renmei?”, recebemos da leitora Maysa Penna as considerações abaixo que passo a responder.

Sr(a) Iochihiko,







Seu artigo tem a delicadeza louvável de interpretar sentimentos e emoções, conflitos e incertezas, sonhos e desilusões de imigrantes em busca de uma vida melhor. Nesse sentido, uma análise tocante, embora as características acima mencionadas possam ser encontradas em todos os grupos em migração. O que me chama a atenção, porém, não é a natureza emocional de sua análise, mas dois pontos que o(a) Sr.(a) mesmo(a) menciona e que carecem de uma perspectiva histórica em sua análise: primeiro, o fato de que aparentemente (a julgar por seu próprio artigo), os imigrantes japoneses foram mandados ao Brasil num movimento pretensamente colonizador expansionista do governo do Japão; segundo, esses imigrantes aqui instalados recusaram-se a se integrar à sociedade local, aprender seus costumes, sua cultura, suas tradições, pois estavam aqui (ainda a julgar por seu próprio artigo) de passagem. Permita-me, pois, propor dois pontos para reflexão que julgo urgente: primeiro, a imigração japonesa para o Brasil foi uma abertura do nosso país a uma comunidade estrangeira que sofria a penúria da pobreza, desemprego e fome em seu próprio país. Claro, um país de dimensões continentais e hábitos monarquistas como o Brasil carecia de mão de obra, motivo pelo qual manteve suas fronteiras abertas à imigração por tanto tempo. Trata-se, portanto, de uma perspectiva totalmente diferente da que o(a) Sr.a) apresenta. Não éramos uma terra inculta e despovoada à espera de conquistadores. Muito longe disso, o Kasato Maru aportou no que era, já à época, o maior porto comercial da América do Sul, num país de vibrante atividade econômica e social, que já havia sido capital do Império Português e que se transformara em uma república moderna e progressista, ao menos nas idéias. Segundo: os japoneses para cá emigrados, em não tendo intenção de permanecer, também não envidaram quaisquer esforços de se aculturar, ao contrário de imigrantes de outras procedências chegados antes dos japoneses, ou depois (notadamente a colônia italiana, tão perfeitamente integrada que hoje, no Estado de São Paulo, o sotaque dominante é o italiano, ainda que sejamos de origem portuguesa, espanhola, árabe ou mesmo japonesa). Antes, esses imigrantes japoneses colocaram-se resistentemente contra a cultura do país que os acolhera, menosprezando-a, diminuíndo-a e até mesmo ignorando seu passado não menos cheio de tradição e glória (enquanto o Japão ainda mergulhava no feudalismo, nós, portugueses que fomos antes de nos chamarmos brasileiros, dominávamos os oceanos e tudo o que a Idade das Grandes Navegações trouxe de avanço para a humanidade) que o passado japonês, chegando ao ponto de atribuir aos brasileiros que os receberam a pecha de gaijin, suprema descortesia (arrogância?) de chamar o anfitrião de estrangeiro em sua própria casa. É claro que o período de guerra da década de 40 impôs tratamento severo aos imigrantes dos países contra  os quais o Brasil lutou; tanto mais severo, porém, quanto a resistência de aculturamento da colônia em questão. Queixaram-se os imigrantes japoneses, de serem proibidos de usar seu idioma em público. Ora, mas a utilização do idioma local é o mínimo que se espera de alguém que passa a residir seja onde for, quanto mais não o será em tempos de conflito armado? Sofreram por não poder falar seu idioma? Que diriam, então, os ítalo/brasileiros que foram, vestidos com a farda da FEB, combater seus próprios parentes em terras de seus pais ou avós? Quem são eles? Ítalo-Brasileiros? Pergunte a qualquer um: eles são brasileiros. Com muito orgulho. Reflitamos pois. Trata-se de uma questão, na colônia japonesa do Brasil, ainda muito atual e que merece ponderação. Não lhe parece?

…………………………….

Primeiramente nosso agradecimento pelo contato.

Dada a importância dos seus comentários, quisemos dar maior visibilidade, publicando-os em forma de artigo e não na seção de comentários.

Meus comentários: É possível uma explicação para o surgimento da Shindo renmei?

Iochihiko Kaneoya

Formado em Direito e mestrando em cultura japonesa pela Universidade de São Paulo - USP. Pesquisador da cultura japonesa.

All stories by : Iochihiko Kaneoya

Leave a Reply