A mulher da neve | 雪女

A mulher da neve | 雪女

150 150 Paula Hidemi Kaneoya

A mulher da neve (雪女) é um tipo de youkai (妖怪) – classe de criaturas sobrenaturais do folclore japonês. Youkais podem possuir formas animais,  humanas, de objetos inanimados ou ainda, sem forma discernível.







Também conhecida como Yuki-bamba, yuki-joro, yuki-neesa, shokkenken, yukinba, yukiba-jo, a mulher da neve tem cabelos compridos, é muito pálida, usa kimono branco e é muito bonita. Diz-se que ela é o espírito da neve, mas fala-se também que ela é a princesa da lua.

O encontro com a mulher da neve acontece em noites de nevasca e suas características variam regionalmente. Em Niigata, acredita-se que ela congela as pessoas até a morte e retira o coração das crianças. Em Iwate e Miyagi, ela rouba a alma das pessoas e em Ibaraki, ela chama por transeuntes e, caso seja ignorada, os empurra para as ravinas. Também passa por “ubume”, uma mãe-fantasma, em Aomori. Traz uma criança no colo e pede às pessoas que a segurem. A criança então cresce de forma assustadora e mata esmagado quem a segura. Quem recusa, é morto pela mulher da neve.

Apesar do encontro com a mulher da neve ser extremamente perigoso e assustador, existem formas de se livrar da morte certa, por exemplo: ela se derrete ao ingerir comida quente ou ao se banhar no ofurô – banheira quente, oferecidos pela hospitalidade do anfitrião. Há regiões em que a mulher da neve aparece em casas de família e, caso seja bem tratada, pela manhã, ela se transforma em moedas de ouro e traz felicidade.

Embora a aparição da mulher da neve esteja relacionada a noites de nevasca, em algumas regiões do Japão, acredita-se que ela apareça em datas fixas. Em Iwate, ela aparece entre os dias de 14 e 16 de janeiro e em Aomori, no primeiro dia do ano. Costuma aparecer nas regiões Nordeste, Sul, Centro e em  Kanto.

Lafcádio Hearn, escritor grego que viveu no Japão, conhecido também como Koizumi Yakumo, em seu livro “Writing from Japan”, escreve sobre a mulher da neve, história que pode ser conferida também no filme de Masaki Kobayashi, “Kwaidan”. A mulher da neve também é retratada no terceiro sonho apresentado no filme “Sonhos”, de Akira Kurosawa.

Há uma lenda menos famosa que fala sobre um homem da neve, de apenas uma perna e um só olho. A história é parecida com a da mulher da neve. Em Gunma e Toyama, ele é conhecido como yuki nyudo ou yukinbo, em Wakayama. Diz-se que no dia seguinte às nevascas, é possível ver o rastro de um só pé na neve.

A mulher da neve (Conto de Lafcádio)

Nessa história, dois lenhadores da vila de Musashi, Mosaku e Minokichi – um senhor e seu aprendiz -, vão a uma montanha a cinco milhas de sua vila para coletar lenha. No caminho, havia um rio cuja ponte era destruída a cada enchente, por isso, havia ali também um barco. Em uma noite fria, quando estavam retornando às suas casas, se iniciou uma forte nevasca. O senhor que fazia o transporte de barco já havia deixado o posto. Como não era uma boa situação para atravessar o rio a nado, resolveram aguardar a tempestade passar, ficando na cabana do barqueiro. Minokichi, o aprendiz, fechou a porta da cabana e os dois resolveram descansar. Enquanto dormiam, a porta da cabana se abriu e, quando Minokichi acordou, viu uma mulher de longos cabelos pretos e kimono branco inclinada sobre Mosaku. Ele a viu soprar no rosto de Mosaku, congelando-o até à morte. A mulher-da-neve então se virou para Minokichi e, encarando-o, disse que sua intenção era dar o mesmo destino a ele, porém, como era um jovem novo e bonito, ela o deixaria viver, contanto que jamais contasse o que aconteceu nessa noite a ninguém, nem mesmo à sua mãe. Caso contasse, ela saberia e voltaria para matá-lo. A tempestade passou e Minokichi retornou à vila. Minokichi ficara doente com o frio que passara nas montanhas e sua mãe cuidou de sua saúde até que se recuperasse e pudesse retornar ao trabalho.

Quando Minokichi retornou às montanhas, já na primavera, no caminho de casa, encontrou com uma bela jovem, chamada O-Yuki. Seus pais faleceram recentemente e ela se encaminhava a Edo para morar com parentes. Conversaram durante o caminho e, quando chegaram próximo à casa de Minokichi, ele a convidou para descansar. Muito bonita prestativa e simpática, a mãe de Minokichi sugeriu adiar a viagem e ficar um pouco com eles. A estada se prolongou e  Minokichi se casou e teve filhos com O-Yuki. Dias e anos se passaram. Eram uma família feliz.

A mãe de Minokichi falecera e, um dia quando O-Yuki ia visitar o túmulo com suas crianças, encontrou com as senhoras da vila, que comentavam sobre como O-Yuki era bela e que aparentava ser tão jovem quanto o dia em que chegou à vila. As senhoras disseram a ela que Minokichi era sortudo por ter uma esposa tão boa, tão bela e jovem, que normalmente as mulheres camponesas após terem filhos, envelheciam muito rápido, ao contrário dela.

Uma noite, quando as crianças já estavam dormindo, O-Yuki costurava kimonos sob a luz de uma lanterna de papel. Por alguns instantes, Minokichi ficou olhando sua bela esposa e disse a ela que era muito bonita, jovem, de pele linda e muito branca, e que somente havia visto uma pessoa tão bela quanto ela. Minokichi disse que nunca havia dito nada a ninguém, mas que há muitos anos, quando ainda era jovem, encontrou uma mulher linda como ela, que havia congelado seu mestre com um sopro, matando-o, em uma noite de nevasca. Disse que não sabia se era um sonho ou se era realidade, mas que não tinha contado nada a ninguém, pois temia aquela mulher. Nesse instante, O-Yuki se vira para Minokichi e revela que era ela. E que ele a traiu, pois havia prometido não contar a ninguém. Sendo assim, ela teria que matá-lo, mas não o faria pelas crianças que  dormiam no cômodo ao lado. Disse então que cuidasse muito bem delas, pois caso alguma tivesse uma razão para reclamar do pai, ela retornaria e o castigaria. Mesmo gritando, sua voz se tornou fina como o choro do vento e ela se derreteu em uma brilhante e branca névoa até sair pela chaminé da casa. Ela nunca mais foi vista na vila.

REFERÊNCIAS

FOLKLORE of Japan. [S.l.]: The Spirit Captive, [s.d.]. Disponível em: <http://book.ioreth.org/folklore.html>. Acesso em: 22 out. 2012.

HEARN, Lafcádio. Writings from Japan: an anthology edited, with an introduction, by Francis King. [S.l.]: Penguin Books, [1984].

LAFCADIO HEARN. In: Wikipedia. [S.l.]: Wikipedia, [s.d.]. Disponível em: <http://en.wikipedia.org/wiki/Lafcadio_Hearn>. Acesso em: 22 out. 2012.

NAGATA, Mikako; NAKASAKO, Kazuhiko. Nihon no youkai jiten & toshi densetsu. Tokyo: Oizumishoten, 2011.

YOUKAI. In: Wikipedia. [S.l.]: Wikipedia, [s.d.]. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Y%C5%8Dkai>. Acesso em: 22 out. 2012.

YUKI-onna. [S.l.]: The Obakemono Project, [s.d.]. Disponível em: <http://www.obakemono.com/obake/yukionna/>. Acesso em: 22 out. 2012.

Paula Hidemi Kaneoya

Bibliotecária formada pela Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. Ministra oficinas de origami.

All stories by : Paula Hidemi Kaneoya
1 comentário
  • Na vida real, se uma mulher chamada Grande Neve aparece depois de eu ver um youkai de neve, qualquer um ficaria com os dois pés atrás, hahaha.

    Ótimo post.

Leave a Reply