Gueixa 芸者 | Entretenimento para a elite

Gueixa 芸者 | Entretenimento para a elite

150 150 Rafael

gueixa03.jpg

Os custos para se ter a companhia de uma gueixa são, de fato, muito altos. Geralmente a gama de clientes abrange desde importantes empresários, políticos, membros da yakuza (a máfia japonesa) e artistas famosos.

Contudo, não basta ser milionário para entrar nesse mundo fantasioso e ritmado pelos delicados e encantadores gestos das gueixas. Para ser aceito nas principais casas, é preciso ser apresentado por outro cliente mais antigo.
Quando presidentes e diretores de grandes empresas têm por intenção receber de bom agrado seus parceiros de negócios, é comum levá-los às casas de chá (ocha-ya). As gueixas oferecem um entretenimento ímpar e refinada arte para a elite japonesa.







Esse universo, que ainda hoje é cercado de mistério e fascinação pode estar no fim. Tem-se registrado um grande declínio quanto ao número de gueixas no Japão. Estima-se que no início do século XX, havia cerca de 80 mil gueixas no país. Hoje, acredita-se que seja algo em torno de duas mil. Dentre as possíveis causas dessa radical redução está a influência da cultura ocidental – que é apontada como uma das causas do crescente desinteresse dos japoneses pelas suas antigas tradições.

Uma gueixa iniciante é chamada de maiko. As poucas jovens que ingressam numa oki-ya(casa gueixa) o fazem por livre e espontânea vontade, muitas vezes atraídas por uma visão romantizada da profissão ou pelo amor pelas artes tradicionais do país. A vida de uma aprendiz não costuma ser nada fácil. Antes de se tornar uma maiko, ela precisa ser responsável pelos afazeres domésticos, além de se submeter a vários anos de rigoroso aprendizado, em que aprende a cantar, dançar e tocar instrumentos musicais, dentre eles o shamisen(tradicional instrumento de cordas). Artes como caligrafia, cerimônia do chá e pintura também podem fazer parte de sua erudição.

2 Comentários
  • Luiz Henrique 9/04/08 at 01:38

    Puxa, que interessante!! Parabéns ao autor d matéria!!! Conheço um pouco da vidad dessas mulheres e sei que carregam uma história muito interessante, de lutas, tradições e costumes fundamentais para a história do país. Talvez hoje essas damas da sociedade não estejam tão na moda quanto antes, porém ainda são veneradas por muitos e é claro, servem de lição para pessoas que desejam alcançar seus objetivos, mesmo que pra isso seja preciso enfrentar preconceitos e discriminações.

    Um abraço

Leave a Reply