nov 26 2012

Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (BUNKYO): sua importância e relação com a comunidade nipo-brasileira

MORAES, Bruno Pedroso de. Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (BUNKYO): sua importância e relação com a comunidade nipo-brasileira. 2012.Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) – Universidade de São Paulo, São Paulo.

 

RESUMO 

Esta pesquisa tem como tema central a Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (Bunkyo) em seu papel na comunidade nipo-brasileira historicamente e atualmente. É um tema importante por tratar de questões referentes ao sucesso associativista dos imigrantes japoneses e seus descendentes. As associações se tornam parte importante na questão de como sobreviver em um país estranho primeiramente, e depois como se integrar à sociedade brasileira, e por fim manter e divulgar a cultura dos imigrantes japoneses, assim como promover o desenvolvimento de sua comunidade e trabalhos de assistência social relacionado a ela. Tem como objetivos entender o fundamento da organização Bunkyo no contexto histórico em que foi criada e, assim como seu desenvolvimento até o início do século XXI. Também, apresentar sua estrutura organizacional e funcionamento para, enfim, entendermos o papel da organização na comunidade nipo-brasileira. Quanto à metodologia o trabalho tem caráter qualitativo, por meio de pesquisas bibliográficas de teses, documentos e uma entrevista semiestruturada com o Secretário Geral do Bunkyo. No referencial teórico foram abordados os temas de imigração japonesa e o desenvolvimento das associações japonesas. O resultado da pesquisa aponta para que o Bunkyo atualmente esteja prezando pela sua manutenção, planejando uma saída étnica para a sociedade e transformá-la em entidade cultural. Seu papel atualmente é representar a comunidade nipo-brasileira através do maior intercâmbio entre as associações regionais, assim como trabalhando com aspectos assistenciais ligados à comunidade nipo-brasileira. Também se insere como um dos principais divulgadores e promotores da cultura japonesa imigrante.

Palavras-chave: Imigração Japonesa. Associativismo. Nikkei. Comunidade Nipo-brasileira. Bunkyo

Trabalho na íntegra: Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (BUNKYO): sua importância e relação com a comunidade nipo-brasileira

Contato: brunodemoraes@gmail.com


Use as estrelas abaixo para dar uma nota a este artigo:
1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (Este artigo ainda não foi avaliado)


Imprima uma versão mais simples deste artigo.
Gostou? Recomende este artigo por email. Gostou? Recomende este artigo por email.

Por enquanto, nenhum comentário. Comente.


jet horizontal

nov 19 2012

Shichi-go-san | 七五三

 

O Shichi-go-san (七五三) é comemorado no dia 15 de Novembro. Nesta data, meninas de 3 e 7 anos e meninos de 3 e 5 anos, vestidos em kimonos especiais, vão aos santuários com suas famílias para pedir por saúde, crescimento e felicidade. No passado, a importância desse festival estava relacionado ao alto índice de mortalidade infantil. A cada etapa significativa atingida era motivo de celebração. A mortalidade infantil já não assusta o Japão como antigamente, mas permaneceu a tradição da festividade.

Shichi-go-san significa, literalmente, sete, cinco e três, números que indicam boa sorte e idades consideradas marcantes na vida de uma criança. Na época dos samurais, crianças até três anos deviam ter o cabelo raspado. De acordo com a tradição do Shichi-go-san, meninos e meninas de três anos, pela primeira vez, são permitidos a deixarem o cabelo crescer, porque estão deixando o estado de bebê. As meninas dessa idade vestem um san-sai-furisode (kimono para menina de três anos), amarrado por uma faixa de seda,  e por cima, um colete chamado hifu. Os temas dos kimonos, assim como as das meninas de sete anos, remetem à infância e às flores.

Aos cinco anos, o menino veste seu hakama (vestimenta masculina tradicional) e o usa em público pela primeira vez. Faz conjunto com o hakama, o haori – jaqueta de seda -, completando o vestuário típico samurai. O haori é estampado com temáticas que se referem aos samurais, sendo, por vezes,  representações de célebres guerreiros. Era quando o menino filho de samurais era apresentado ao senhor do seu feudo.

Aos sete anos, a menina celebra vestindo o seu primeiro obi (faixa de tecido), sustentando o nana-sai-furisode (kimono para meninas de sete anos), cujo tema remete à infância. Acessórios que acompanham kimonos de luxo também são usados nessa ocasião.

O festival teve início no período Heian (794~1185), quando a nobreza celebrava o crescimento de seus filhos em um dia de sorte de Novembro. Durante o período Kamakura (1185~1333), ficou estabelecido que o festival aconteceria no dia 15 do mês em questão. No período Edo (1603~1868) essa prática se tornou comum à população em geral,  que visitava os templos para receber as preces oferecidas pelos monges, tradição que continuou a ser seguida pelos japoneses.

Chitose ame (千歳飴)

Na ida ao templo, as crianças recebem amuletos e uma sacolinha com o doce tradicional Chitose ame (bala dos mil anos). Com o formato de um tubo de cores branca e vermelha, diz-se que esse doce confere mil anos de felicidades para as crianças que o recebem.

A sacolinha possui um desenho da tartaruga e do tsuru, símbolos da longevidade no Japão. Esse significado surgiu a partir do ditado “tsuru wa sen nen, kame wa man nen” (o tsuru vive mil anos e a tartaruga, dez mil anos). Os outros elementos representados significam: o pinho simboliza prosperidade, pois nunca altera sua cor verde; o bambu significa modéstia, inocência e cresce sempre reto, voltado para o céu; a flor do pessegueiro está relacionada à felicidade e prosperidade; o casal de velhinhos representa a longevidade;  e o mar, a purificação.

Referências

JAPAN National Tourism Organization. Holidays, occasions and events. [S.l.]: JNTO, [s.d.]. Disponível em: <http://www.jnto.go.jp/eng/indepth/cultural/experience/ab.html>. Acesso em 19 nov. 2012.

SHICHI-Go-San: festival sete-cinco-três. In: Cultura Japonesa. [S.l.]: Cultura Japonesa, [s.d.]. Disponível em: <http://www.culturajaponesa.com.br/htm/753.html>. Acesso em: 18 nov. 2012.

SHICHI-Go-San. In: Go Japan Go. [S.l.]: Go Japan Go, [s.d.]. Disponível em: <http://www.gojapango.com/culture/shichi-go-san.html>. Acesso em: 18 nov. 2012.

SHICHI-Go-San. In: Wikipedia. [S.l.]: Wikipedia, [s.d.]. Disponível em: <http://en.wikipedia.org/wiki/Shichi-Go-San>. Acesso em: 18 nov. 2012.


Use as estrelas abaixo para dar uma nota a este artigo:
1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (Este artigo ainda não foi avaliado)


Imprima uma versão mais simples deste artigo.
Gostou? Recomende este artigo por email. Gostou? Recomende este artigo por email.

1 comentário


jet horizontal

Pages: Prev 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 ... 118 119 120 Next

Pages: Prev 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 ... 118 119 120 Next