set 17 2012

Provérbios e expressões

Ahô (あほう)

Na China durante a Era Qin (221-207 a. C.) o imperador Shi-Huang-Di (259-210 a. C.) havia mandado construir um palácio bonito, majestoso, enorme num local chamado Abou, para comemorar seu 30º ano de reinado. O palácio comportava dez mil pessoas no seu interior e tão grande obra arruinou as finanças do reino. E o palácio que assumiu o nome da localidade ficou famoso e passou a ser sinônimo de bobo, idiota. Com o tempo, a pronúncia mudou para ahou. Uma outra versão diz que ahou vem de awabou, junção de awa awa (onomatopeia para designar movimento bobo da boca) e bou (garoto), significando sujeito de boca mole, não fechada.

Baka (馬鹿)

Encontramos numa antiga crônica chinesa, Shiji, escrita por volta do ano 100 a.C., interessante origem da palavra. No reinado de Qin (221-207 a. C.) um poderoso eunuco havia decidido que um jovem príncipe deveria suceder o imperador que havia falecido sem nomear herdeiros. E saiu em campanha pela China como regente do seu reino para promover o nome do seu príncipe. Num dos reinos presenteou o jovem imperador com um cavalo. Por alguma razão desconhecida, talvez para mostrar seu poder ou porque era mesmo um tolo, o eunuco disse a todos que o cavalo era um cervo e convenceu muitos do seu poder. A palavra compõe-se de dois kanji: cavalo (ba) e cervo (ka), significando sujeito tão tolo que é incapaz de diferenciar um cavalo de um cervo. Na China, diferentemente e fidedignamente à história, a palavra é usada como sinônimo de poder. Uma outra versão é contada por Arai Hakuseki (1657-1725), segundo o qual, a palavra derivaria do sânscrito moha (tolo), vindo diretamente da China para o Japão onde assumiu a forma atual.

 

Referência:

OTSUKI, Hiroshi; GRINDSTAFF, Bradley. Cultural keys: the history of japanese words and phrases. Tokyo: The Hokuseido Press, 1995.


Use as estrelas abaixo para dar uma nota a este artigo:
1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (Este artigo ainda não foi avaliado)


Imprima uma versão mais simples deste artigo.
Gostou? Recomende este artigo por email. Gostou? Recomende este artigo por email.

Por enquanto, nenhum comentário. Comente.


jet horizontal

ago 28 2012

Provérbios e expressões

 

Foto: Renata Takaschima

Foto: Renata Takaschima

Sukiyaki (鋤焼き)

Prato bastante apreciado na culinária japonesa, sua origem é incerta, mas cercada de curioso folclore. Diz a lenda que na era medieval um nobre, voltando da caça, pediu a um camponês que lhe preparasse o animal abatido. O camponês, achando que sua panela era indigna de cozinhar para tão nobre visita, utilizou uma grande pá, seu instrumento agrícola, após lavá-la com cuidado. (Ou, a lenda não diz mas, quem sabe, não quis que suas panelas cozinhassem algo para o nobre). Fato é que literalmente sukiyaki significa aquilo que é cozido na pá (suki=pá; yaki=aquilo que é cozido, assado). Uma outra versão diz que camponeses cozinhavam batatas na pá enquanto lavravam a terra, o que lhes evitava o transporte de panela para o campo. Hoje o padrão da carne utilizada fixou-se na bovina, mas utilizou-se também a carne de peixe e frango. Como a variedade permitia a escolha da carne (mi=substância, carne), isto é, daquilo de que se gostasse (suki=gostar), há quem diga derivar de sukimi-yaki a origem do nome. Na origem, o prato chamava-se gyunabe ou ushinabe (ushi=gado bovino) pela utilização deste ingrediente que passou a ser padrão na preparação do prato. Foi na Era Taisho (1912-1926) que o prato passou a ser conhecido pelo nome atual.

Referências

OTSUKI, Hiroshi; GRINDSTAFF, Bradley. Cultural keys: the history of japanese words and phrases. Tokyo: The Hokuseido Press, 1995.

http://en.wikipedia.org/wiki/Sukiyaki

http://ja.wikipedia.org/wiki/%E3%81%99%E3%81%8D%E7%84%BC%E3%81%8D

 

Sukebei (助平)

Palavra que teve origem na junção de suke, forma antiga do verbo suku (gostar), e hei (terminação bastante comum para nomes masculinos no Japão como se vê em Koohei, Jihei). O lascivo, aquele que gosta de mulheres foi então chamado de Sukebei. Como no Brasil, há também no Japão nomes utilizados com intuito de troça: Nanashi no Gonbei (o Gonbei sem nome), algo equivalente no Brasil a João Ninguém; Honekawa Minai (osso, pele, sem carne) para se referir a pessoas extremamente magras; Akutarô (aku=mau, tarô=nome masculino) para menino levado, peralta); Tadanori (tada=livre, grátis, nori=embarcar) para caroneiro, aquele que não costuma pagar passagem.

Curiosamente, no mundo artístico, cantor de grande sucesso que é também compositor de letra e música, adotou o nome artístico de Yoshi Ikuzo, que pode ser traduzido em linguagem coloquial exclamativamente a algo como “agora eu vou!”.

Referência

OTSUKI, Hiroshi; GRINDSTAFF, Bradley. Cultural keys: the history of japanese words and phrases. Tokyo: The Hokuseido Press, 1995.


Use as estrelas abaixo para dar uma nota a este artigo:
1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (Este artigo ainda não foi avaliado)


Imprima uma versão mais simples deste artigo.
Gostou? Recomende este artigo por email. Gostou? Recomende este artigo por email.

Por enquanto, nenhum comentário. Comente.


jet horizontal

Pages: Prev 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 ... 118 119 120 Next

Pages: Prev 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 ... 118 119 120 Next