Akai Chouchin: a lanterna vermelha

Akai Chouchin: a lanterna vermelha

150 150 Iochihiko Kaneoya

chouchin

Peça teatral que retrata a resistência dos valores de um Japão tradicional em meio à degradação dos laços de família, fato que foi bastante comum em situações de miséria no Japão feudal. Vemos aí, como fundo, um Japão  pintado com as cores do realismo social onde se ressaltam os valores da moral como força aglutinadora familiar.







Sua encenação é simples, requerendo apenas alguns preparativos e cuidados, típicos do teatro japonês. Diferentemente do teatro ocidental, o cenário reporta-se ao mínimo, assim como os atores e o volume de movimentos no palco, dando-se ênfase particular à sutil interpretação dos atores, especialmente à entonação da voz. Embora de cenário minimalista, os detalhes têm que ser precisos, pois também eles, devem trazer sua mensagem ao público. Assim, deve-se cuidar atentamente das roupas, da caracterização física e psicológica dos atores e do ambiente.

No teatro japonês há um caminho do lado esquerdo da platéia, chamado hanamichi – entrada e saída de atores.
No primeiro ato, o ambiente é de uma família de classe média. Roupas, cenário, móveis têm que estar condizentes.
O segundo ato pode se dar com as cortinas fechadas, aproveitando-se para compor o próximo ambiente nos bastidores. Este ato tem caráter humorístico, funcionando como um pequeno intervalo entre os atos.
O terceiro ato pode se dar no ambiente do primeiro, com pequenas modificações: um quadro, um vaso com flores a mais. O ator deve estar caracterizado como ladrão: máscara, boné, revólver, barba por fazer.

Fazendo-se a apresentação à noite, consegue-se melhor efeito visual pelo jogo de luzes. A entrada e saída de atores, deve se fazer acompanhar por foco de luz. A luz deve focar o ator que fala, devendo permanecer no escuro os demais.
No quarto ato, a casa é de gente pobre, assim como a indumentária dos atores: roupas surradas, puídas ou remendadas. No lado externo, deve-se expor um chouchin vermelho, aceso – pode-se utilizar uma vela de não mais que 5 cm. O foco de luz deve estar apenas no ator que entra, deixando-se o interior da casa apagado. O aspecto do chouchin deve lembrar objeto de 20 anos: velho, um pouco rasgado, puído. Serão necessários dois focos: para o ator que entra, fala, e ao se aproximar da casa, ilumina-se seu interior, apagando-se a primeira luz, quando se inicia a ação. O interior da casa deve estar elevado cerca de 50 cm em relação ao exterior.

Em caso de dúvida na montagem, estarei à disposição para esclarecimentos.

Bom espetáculo!

p.s. O japonês não é minha língua-mãe, por isso, eventuais erros apontados terão minha gratidão.
Chouchin=lê-se tyoutin
hanamichi=hanamiti

Iochihiko Kaneoya

Formado em Direito e mestrando em cultura japonesa pela Universidade de São Paulo - USP. Pesquisador da cultura japonesa.

All stories by : Iochihiko Kaneoya
1 comentário

Leave a Reply