história

Bonsai (盆栽) | planta na bandeja

150 150 Bruno Kaneoya

O bonsai é a arte de cultivar miniaturas de árvores em vasos decorativos. De origem chinesa, esta forma de expressão artística caiu nas graças do povo japonês devido ao amor xintoísta à natureza, e principalmente pela filosofia zen budista por trás de toda esta belíssima arte.

read more

Kanten [寒天] | Agar-agar

150 150 Nipocultura

Kanten [寒天], conhecido também como ágar-ágar, refere-se ao pó obtido a partir das folhas desidratadas de diversos tipos de algas marinhas. Ao ser dissolvido e fervido na água, obtém uma estrutura gelatinosa e sólida, utilizado milenarmente em vários pratos da gastronomia japonesa, desde doces até pratos salgados como macarrão (tokoroten).

read more

O haikai, haicai ou haiku

150 150 Iochihiko Kaneoya

A forma de poesia haikai, ou haicai aportuguesado, haiku para os japoneses, de apenas 17 sílabas, é a composição de imagens que, como na linguagem cinematográfica, partem de um cenário geral para o particular, ou, como ensina Bashô, da “permanência” para a “transformação” ou “percepção momentânea” apenas sugerindo, mostrando de relance, cabendo ao leitor sua interpretação, “o que (interpretação do leitor) faz da imperfeição do haiku uma perfeição de arte”, como diz Yone Noguchi.

read more

Konpeito [金平糖] | Confeito japonês de origem portuguesa

150 150 Nipocultura

Na época, este doce era restrito à nobreza, devido a sua beleza composta por esferas coloridas de 5 a 10 cm de diâmetro, envoltos por minúsculos “espinhos” de açúcar.

read more

Os 47 ronins

150 150 Bruno Kaneoya

O clã de Ako foi confiscado e os 300 samurais de Ako tornaram-se ronins, samurais sem daimyô e conseqüentemente sem sustento. O clã se dispersou, mas foi formado um pequeno grupo de 47 pessoas que planejaram vingar a morte de seu daimyô.

read more

Fontes ideológicas das artes marciais japonesas

150 150 Iochihiko Kaneoya

O Japão sempre foi fiel aluno e profundo admirador da cultura da China e da Coréia. Importou da China o budismo, o confucionismo, as artes, a escrita, o sistema político, instrumentos musicais, usos e costumes. Os coreanos ensinaram a arte da fundição, da carpintaria e incentivados pelo príncipe Shotoku, a escrita chinesa kanji foi ensinada pelo mestre coreano Wang-I aos iletrados japoneses do século VI, como instrumento necessário para o aprendizado do budismo.

read more

100 anos de imigração | O imigrante e sensei de judô Sukeji Shibayama – III

150 150 Iochihiko Kaneoya

Agora pai, levei meus filhos para treinar judô na mesma academia.
Sensei me recebeu com alegria. Contou-me a história da academia desde que eu havia me ausentado. Enquanto as crianças treinavam, conversávamos. Quase sempre assuntos filosóficos, o de que mais gostava e a sua estreita relação com o judô.

read more

Kare Raisu [カレーライス] | Curry Rice

150 150 Nipocultura

Curry Rice [カレーライス], pronunciado como Karë Raisu pelos japoneses, não é exatamente um prato de origem japonesa, mas faz muito sucesso entre os japoneses desde a Era Meiji.

read more

O Bushidô

150 150 Iochihiko Kaneoya

A concepção que o ocidente costuma atribuir ao Bushidô (literalmente, o caminho do guerreiro; no ocidente, livremente traduzido como código de honra do guerreiro samurai), é algo restrito apenas à conduta dos samurais.

read more

Monaka [最中]

150 150 Nipocultura

Monaka [最中] é um doce japonês que consiste em uma fina camada de wafer à base de farinha de arroz e recheado tradicionalmente com anko (doce de feijão azuki).

read more

Maneki neko, o gato da sorte

150 150 Bruno Kaneoya

O maneki neko é um dos mais famosos símbolos da sorte na cultura japonesa.

read more

100 anos de imigração | Takashi Chonan e a trajetória do alho no Brasil

150 150 Iochihiko Kaneoya

-“Esse é o Takashi Chonan que desenvolveu uma nova variedade de alho. Vc já ouviu falar do Alho Chonan?”

read more