Sumô (相撲)

150 150 Bruno Kaneoya

http://www.flickr.com/photos/morimori/

O sumô é um tradicional esporte de contato no qual dois lutadores (rikishi), duelam entre si em uma área circular chamada dohyo, com o objetivo de fazer com que o adversário toque alguma parte do corpo no chão ou saia da área delimitada. Elementos como o sal, usado para a purificação, estão presentes nas lutas devido a sua forte ligação com o xintoísmo.







Mitos e lendas do século VIII, como o mais antigo documento japonês, o Kojiki (o livro dos assuntos antigos), citam o esporte entre os séculos III e VII. Segundo o livro, há 2500 anos, na costa de Izumo, os deuses Takemikazuchi e Takeminakata lutaram para determinar a posse das ilhas.

Os primeiros relatos de lutas do sumô são originários do ano 23 a.C., quando o imperador Suinin (垂仁天皇), solicitou que Nomi no Sukune (野見 宿禰), um ceramista de Izuno, lutasse contra Taina no Kehaya, um marginal da época. Após derrotar Kehaya com violentos chutes no tórax, Sukune tornou-se “o pai do sumô”.

A ligação entre os imperadores e o sumô ficou cada vez mais forte. A imperatriz Kogyoku (642 até 645) solicitava aos seus guardas a lutarem para entreter seus convidados. O imperador Shomu (724 até 749) realizava no palácio imperial um festival chamado “sechie” e recrutava sumotoris de todo o país. O imperador Kanmu (781 até 806) oficializou o “sechie-zumo” como um evento anual e o costume continuou durante todo o período Heian (794 até 1185). Mas foi no reinado do imperador Saga (809 até 823) que o sumô ganhou o status de arte marcial. As técnicas foram refinadas e regras estabelecidas.

Após o estabelecimento do primeiro shogunato em Kamakura (de 1185 até 1392) o sumô passou a ser praticado pelos guerreiros.

Durante o período entre os séculos XV e XVIIII, os sumotoris ganharam uma grande importância na sociedade. Vários daimyôs ofereciam uma espécie de patrocínio aos lutadores mais fortes. Recebiam um status de samurai, eram presenteados com aventais bordados do senhor feudal e garantiam assim um bom padrão de vida.

No período Edo, iniciou-se o que pode ser considerado a base do sumô atual. Em 1761 o sistema de ranking foi estabelecido e a organização passou a ser chamada de “kanjin – ozumo”. A versão profissional do esporte passou a ser chamada então de “Grand sumô”.

Alguns elementos do sumô:

  • Sal: purificação do dohyo. Alguns lutadores jogam sal em seus corpos para protegê-los de lesões.
  • Juiz (gyoji): representa o sacerdote xintoísta em sua vestimenta tradicional.
  • Finas tiras (sempre em quantidade ímpar e entre 17 e 21) anexas ao mawashi: representam as cordas em frente dos templos xintoístas.
  • Cerimônia de início (dohyo-iri): purifica o corpo e o espírito de cada lutador.

Hoje, o sumô é apresentado aos seus fãs em seis campeonatos (hon-basho) durante o ano: janeiro (Tóquio), março (Osaka), maio (Tóquio), julho (Nagoya), setembro (Tóquio) e novembro (Fukuoka). Cada campeonato tem 15 dias de duração, sempre de domingo a domingo.

Os atletas são divididos em 6 categorias: makuuchi, juryo, makushita, sandanme, jonidan e jonokuchi. A elite do sumô é subdivida em: yokozuna, ozeki, sekiwake, komusubi e maegashira. Até hoje somente 69 rikishi foram coroados com o grau de yokozuna. Para se chegar ao ápice da carreira de sumotori, só existe uma maneira: ganhando lutas (torikumi) nos grandes campeonatos.

O esporte não pára de crescer e cada vez mais pessoas mundo afora se tornam fãs deste tradicional esporte da terra do sol nascente.

Fontes:
http://www.chinatownconnection.com/sumô-wrestling-history.htm
http://www.sumôtalk.com/history.htm
http://library.thinkquest.org/29486/history.html
http://www.japaneselifestyle.com.au/culture/sumô_history.html
http://en.wikipedia.org/wiki/sumô

Bruno Kaneoya

Bruno Kaneoya, designer e sansei (neto de japoneses). "Como designer, é imprescindível compreender a maneira como a sociedade funciona, se comporta e se transforma, por isso escrevo sobre este assunto no NIPOCULTURA."

All stories by : Bruno Kaneoya
4 Comentários

Leave a Reply