É homem ou mulher? Nipo-brasileiras e outras contra ditadura: gênero, etnicidade e memória da luta armada no Brasil

É homem ou mulher? Nipo-brasileiras e outras contra ditadura: gênero, etnicidade e memória da luta armada no Brasil

150 150 Paula Kaneoya

MARTINELLO, André Souza. É homem ou mulher? Nipo-brasileiras e outras contra ditadura: gênero, etnicidade e memória da luta armada no Brasil. In: Colóquio Internacional Gênero, Feminismos e Ditaduras no Cone Sul, 2009, Florianópolis. Anais eletrônicos… Florianópolis: UFSC, 2009.  Disponível em: <http://www.coloquioconesul.ufsc.br/andre_souza_martinello.pdf>. Acesso em: 07 abr. 2011.

RESUMO







A primeira seção da pesquisa apresenta ações de mulheres no combate à ditadura, que ocorreram de diferentes formas, por vários grupos e maneiras de inserção na política oposicionista ao regime, mesmo que elas fossem retratadas na época, – como ainda em memórias e textos mais atuais – como dependentes dos maridos ou personagens indispensáveis para homens conseguirem liberar-se de determinadas funções, deixadas para elas. A tendência em descrever mulheres no segundo plano da História apresenta-se junto das plataformas realizadas por mulheres e para as mulheres, muitas vezes mais independentes do que se costuma pensar, ao entrar em contatos com fontes do período, percebe-se que muitas delas atuaram em busca de direitos e de maior emancipação e tiveram papel no confronto direto à ditadura, sendo algumas políticas cassadas pelo AI/5.

O segundo momento do texto apresenta situações das descendentes de japoneses, mulheres que na luta armada contra a ditadura brasileira viveram preconceitos muito maiores por serem: “japonesas”, mulheres e guerrilheiras. Associada à idéia de identidade ambivalente, mostra-se como essas mulheres receberem tratamentos desiguais, não reconhecidas como brasileiras, ora acessaram facilidades e privilégios por serem “melhores brasileiras: japonesas” e ora viveram muito mais preconceitos, por carregarem em seus corpos e rostos a ascendência e estigma nipônico.

A etnicidade é relacionada a esse momento do texto com objetivo de compreender estereótipos e cotidianos vivenciados por mulheres descendentes de migrantes japoneses que se engajaram na luta armada nas décadas de 1960 e 70.

Palavras-chave: Guerrilheiras. Nipo-descendentes. Mulheres contra ditadura.

Trabalho na íntegra: É homem ou mulher? Nipo-brasileiras e outras contra ditadura […]

Contato: andresoumar@yahoo.com.br

Paula Kaneoya

Bibliotecária apaixonada por disseminar informação e compartilhar conhecimentos.

All stories by : Paula Kaneoya

Leave a Reply